‘Turismo gastronômico’ na Serra: o peru no pires

Muitos dos novos comerciantes que se instalaram entre o Portal e os loteamentos Alpes e Parque Petrópolis – sob o beneplácito de gestores públicos de Mairiporã – se empenharam em atrair SP para as estradas estreitas, sinuosas e íngremes que cortam o Parque Estadual da Cantareira. Resultado: trânsito insuportável, além da capacidade de nossas vias, acidentes, animais atropelados, latinhas de cerveja decorando o verde natural. Lixo, POLUIÇÃO, excesso de luzes. Tudo isso sob a maquiagem de ‘turismo ecológico’. Na verdade não passa de um combo indigesto que alguns, explorando a Serra em interesses próprios, querem fazer a maioria engolir à força, apesar do grave impacto nas matas, na vida silvestre e dos moradores humanos, que aqui só querem viver em PAZ…
Redação JS


3 de julho 2021: na Avenida José Gianesella, junto ao Parque Estadual da Cantareira: carros estacionados ao longo da estrada ocupam parte do leito carroçável. Foto: redes sociais

Agora: no topo da Serra, Avenida das Palmeiras. Aqui existiam árvores, que foram sorrateiramente derrubadas e o espaço terraplenado. Foto: Suzi Cavalari.


16 de janeiro 2022, Avenida José Gianesella. Portal da Serra sem policiamento. Foto: Raquel Gabinio


16 de janeiro 2022, Avenida José Gianesella junto à entrada do loteamento Alpes da Cantareira. Foto: Raquel Gabinio

Deixe uma resposta